O mal é alguma natureza?

(II Sent., dist. XXXIV, a. 2; III Cont. Gent., cap. VII sqq.; De Malo. q. 1, a. 1; Compend. Theol., cap. CXV; De Div. Nom., cap. IV, lect XIV).

O primeiro discute-se assim. – Parece que o mal é uma certa natureza.

1. – Pois, todo gênero é alguma natureza. Ora, o mal é um gênero e, por isso, diz Aristóteles, que o bem e o mal não estão em um gênero, mas são gêneros de outros seres1. Logo, o mal tem uma certa natureza.

2. Demais. – Toda diferença constitutiva de uma certa espécie é uma natureza. Ora, em moral, o mal é uma diferença constitutiva; pois, o hábito mau difere especificamente do bom como a liberalidade, da iliberalidade. Logo, o mal significa uma certa natureza.

3. Demais. – Cada um de dois contrários significa uma certa natureza. Ora, o mal e o bem não se opõem como a privação ao hábito, mas como contrários, conforme prova o Filó­sofo2; por haver entre o bem e o mal um certo meio e por ser possível a volta do mal para o bem. Logo, o mal exprime uma certa natureza.

4. Demais. – O que não é não age. Ora, o mal age, porque corrompe o bem. Logo, o mal é um certo ente e uma certa natureza.

5. Demais. – Para a perfeição do universo só pode concorrer o que é ser e natureza. Ora, o mal concorre para tal perfeição, segundo diz Agostinho: De todas as coisas compõe-se a admirável beleza do universo; na qual, mesmo o que se chama mal, quando bem ordenado e no seu lugar, mais eminentemente realça o bem3. Logo, o mal é uma certa natureza. Continuar lendo

Fim do mundo? A Profecia de São Malaquias

Em síntese: A profecia atribuída a São Malaquias, bispo de Armagh (Irlanda) no século XII, não era conhecida até 1595. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que foi forjada por interessados políticos que queriam colocar sobre a Cátedra de Pedro o Cardeal Simoncelli de Orvieto precisamente “indicado pelo Espírito Santo” mediante o dístico “De antiquitate urbis”. A falsidade da profecia logo se evidenciou, pois foi eleito Papa não Simoncelli mas o Cardeal Sfondrate. Tal profecia é um instrumento da desonestidade política e não merece crédito.

A eleição do Papa Bento XVI deu ocasião a que os meios de comunicação trouxessem à tona a Profecia de São Malaquias, que prevê o fim do mundo para os próximos anos, sendo o último Papa Pedro II. Torna-se assim oportuno estudar esta matéria.

Continuar lendo

Qual é a origem do celibato sacerdotal?

O celibato sacerdotal foi uma criação do Concílio de Trento? Ou uma invenção medieval do Concílio de Latrão? Poderia a Igreja revogar essa disciplina? Padre Paulo Ricardo fala sobre a origem do celibato sacerdotal nesta Resposta Católica.

Referência:

https://firmatfides.wordpress.com/2012/03/18/celibato-eclesiastico-historia-e-fundamentos-teologicos/

 

Fonte: http://padrepauloricardo.org/episodios/qual-e-a-origem-do-celibato-sacerdotal