Daniel capítulo VIII

1. No terceiro ano do reinado de Baltazar, eu, Daniel, tive uma visão, continuação daquela que eu tinha tido anteriormente.
2. Nessa visão, eu me achava na fortaleza de Susa, na província de Elão, e eu me vi, sempre em visão, às margens do Ulai.”

Nesse momento Daniel inicia a continuação da primeira visão do (capítulo 7), lembramos que na primeira visão Daniel havia visto (4) animais que simbolizavam 4 reinos.

  • Babilônico Leão.
  • Medos Urso.
  • Persa Pantera.
  • Alexandre Magno Animal desconhecido e pavoroso. Continuar lendo

Daniel capítulo VII

Naqueles dias, Daniel teve um sonho profético, revelando um pouco mais sobre o sonho de Nabucodonosor narrado no segundo capítulo de seu livro, nesse sonho, o Profeta contemplou a visão de quatro reinos figurados simbolicamente por quatro animais.

Vamos ao sonho:

“1. No primeiro ano do reinado de Baltazar, rei de Babilônia, Daniel, estando em seu leito, teve um sonho e visões surgiram em seu espírito. Consignou por escrito esse sonho e a substância dos fatos. 2. Assim se manifestou: Via, no transcurso de minha visão noturna,os quatro ventos do céu precipitarem-se sobre o Grande Mar (Daniel capítulo 7)

Bem, o (grande mar) trata-se do mar mediterrâneo no qual separava Jerusalém do mundo pagão, observem que São João diz no Apocalipse exatamente isso: Continuar lendo

Daniel capítulo II

O sonho de Nabucodonosor.

Naquele tempo, o rei da Babilônia teve um sonho profético que muito lhe incomodou, após a frustrada tentativa de receber a interpretação desse sonho pelos seus adivinhos e magos, foi lhe apresentado Daniel, o jovem Hebreus de muita sabedoria, no qual toda a corte dizia ter a sabedoria dos deuses; Daniel por sua vez, na tentativa de salva a sua vida e de seus 3 amigos, implorou a Deus que lhe desse a revelação e pudesse interpretar o sonho de Nabucodonosor:

“18. Pediu-lhes para implorarem a misericórdia do Deus dos céus a respeito desse enigma, a fim de que não matassem Daniel e seus companheiros com o resto de Babilônia. 19. O mistério foi então revelado a Daniel numa visão noturna. Pelo que, bendizendo o Deus dos céus” (Daniel capítulo 2)

Infelizmente, é comum se deparar com erros escatológicos em cima das profecias de Daniel, principalmente no meio protestante, onde seus teólogos querem fazer uma revelação em cima do que o próprio profeta revelou. Observem que a revelação profética era para acontecimentos futuros, o que gera uma inconstância nas interpretações protestantes, pois tais teólogos, pela falta de espiritualidade e a escassez de estudos históricos, não conseguem determinar a exatidão do tempo futuro revelados por Daniel, ou seja, não sabe qual é o futuro que ele se referia. Então nascem as heresias. Continuar lendo