O zelo católico

Mal começou o pontificado do Papa Francisco e muitos “tradôs” já começaram com o conhecido terrorismo espiritual no que se refere ao Papa. Em razão disso, imagino que seja oportuno fazer uma reflexão em torno do que tem acontecido e por fim, expressar uma opinião de como devemos nos portar, para que o zelo católico seja exercitado pelo bem da santa Igreja de Deus.

Para nosso bem espiritual precisamos parar de fazer arqueologia e começar a conhecer o Papa Francisco (entenda isso como conhecermos ele daqui para frente). Pela razão de que precisamos crer. Sim, crer. A eleição do cardeal Jorge Mario Bergoglio nos surpreendeu a todos, mas uma vez que ele apareceu na sacada de São Pedro, nós precisamos ter fé e dizer: Tu és Pedro. Fé, fé no invisível, fé na graça que ele recebeu ao ser eleito. Agora, vejamos, para não acharem que estou sendo ingênuo. É evidende que um Papa que recebe a graça pode ou não colaborar com a graça. Pode ou não fazer as coisas bem feitas. Mas vamos ser objetivos: todos os Papas cometem erros. O Papa é infalível só num aspecto muito específico. Mas ele não tem infalibilidade pastoral, não tem infalibilidade de governo. Na questão pastoral e na questão de governo ele deve contar com a graça de estado, e ser dócil a ela, e serão suas virtudes humanas que irão possibilitar que essa graça de estado aja ou não. Porque Deus opera e o homem coopera, ou então Deus opera e o homem resiste.

Então vamos entender muito claramente quais são os passos espirituais que nós temos que dar: Continuar lendo