Resposta a um leitor sobre a Imaculada Conceição

No dia 22 de maio de 2013 um leitor de nosso blog, denominado “H.S.B. Jr.comentou um texto de minha autoria, sobre a Imaculada Conceição da Virgem Maria que foi publicado no dia 2 de junho de 2012 (https://firmatfides.wordpress.com/2012/06/02/maria-toda-santa/). Em seu comentário, ele tenta objetar contra a Imaculada Conceição, sem abordar entretanto, o conteúdo do meu texto. Então, à serviço da Verdade, o que farei aqui é nada mais que expô-la, repreendendo as cascatas que H.S.B. Jr. disse.

Aqui está o comentário:

É mesmo Lucas? Vamos aos fatos: Lc.1.30 desmente esse argumento. Maria também precisou ser salva Lc.1.47; Rm.3.10,23 diz claramente que todos pecaram e não excetua NINGUÉM; Rm.2.11 diz que DEUS não faz distinção de NINGUÉM, ou seja Maria foi um ser humano falho e mortal igual a QUALQUER UM. Rm.11.32 diz que DEUS ENCERROU A TODOS DEBAIXO DO PECADO, E COMO SEMPRE NÃO EXCETUA NINGUÉM. E outra… que divindade é essa que Maria tinha que temeu uma aparição divina? Lc.1.30; e nem sabia do que se tratava Lc.1.29; volto a perguntar… que divindade é essa? Ao contrário de JESUS que sempre soube de tudo e de sua missão… eu, heim!!!

A refutação será dividida em tópicos para que seja mais fácil a leitura:


SOBRE LUCAS 1,30.

A realidade é a seguinte: em Lucas 1,30, é utilizada a palavra “heurisko” para “encontrou”, vamos ao texto grego:

“καὶ εἶπεν ὁ ἄγγελος αὐτῇ: μὴ φοβοῦ, Μαριάμ: εὗρες γὰρ χάριν παρὰ τῷ θεῷ”

Vejamos o significado que a concordância James Strong dá:

2147 ευρισκω heurisko

forma prolongada de uma palavra primária ευρω heuro, que (junto com outra forma cognata ευρεω heureo hyoo-reh’-o) é usada em todos os tempos exceto no presente e imperfeito; TDNT – 2:769,*; v

1) descobrir, encontrar por acaso, encontrar-se com
1a) depois de procurar, achar o que se buscava
1b) sem procura prévia, achar (por acaso), encontrar
1c) aqueles que vêm ou retornam para um lugar

Oras, este significado claramente não se encaixa, pois Deus não passou a saber de Maria naquele momento como se Ele resolvesse do nada salvar o mundo e enviar seu Filho ao acaso, uma vez que em sua onisciência Ele já sabia que Maria seria a mãe do Filho de Deus desde toda a Eternidade. Vamos então ao outro significado que a concordância dá:

2) achar pela averiguação, reflexão, exame, escrutínio, observação, descobrir pela prática e experiência
2a) ver, aprender, descobrir, entender
2b) ser achado, i.e., ser visto, estar presente
2c) ser descoberto, reconhecido, detectado; revelar-se, do caráter ou estado de alguém, de como é percebido por outros (homens, Deus, ou ambos)

Nota-se: a palavra “descoberto” nesta segunda definição de “heurisko” não tem sentido de encontrar por acaso, mas sim o sentido de ser revelado, exposto, ser visto. Maria então, pelas maravilhas que o Senhor fez nela (Lc 1,49), revelava graça diante de Deus. O que deixa claro que a interpretação que H.S.B. Jr. fez deste versículo está equivocada e não anula em nada a minha interpretação do texto que fiz naquele post, quando na verdade citar este versículo só ratifica o que expus.


SOBRE LUCAS 1,47

Ele ainda cita Lucas 1,47 para tentar dizer que Maria tinha pecado, por ela proclamar Deus como seu Salvador. Vamos ver se seu pensamento está correto: salvação é sinônimo de remissão dos pecados? Seria só isso mesmo o significado de salvação?

Desenvolvendo este raciocínio, percebemos que ele está redondamente enganado e cheio da soberba protestante. A salvação na verdade consiste em fazer parte da natureza divina, como disse santo Atanásio de Alexandria: “Deus  se fez homem para que o homem se fizesse Deus” (On the Incarnation of the Word, 54).

Então, se levarmos até as últimas consequências o que H.S.B. Jr. disse, então concluiríamos que se ser humano algum nunca tivesse pecado, nunca teríamos necessidade de Deus e seríamos merecedores do céu, além de conseguirmos o céu por nós mesmos. Mas não: Jesus se fez homem para que nós homens, que temos a natureza de criatura, pudéssemos alcançar a natureza divina, deixando claro que a salvação é por pura graça de Deus, e que, mesmo que nós fossemos puros e imaculados necessitaríamos do único mediador entre Deus e os homens que é Cristo Jesus. O pecado somente aumentou a necessidade de salvação. Portanto, o fato de Maria proclamar Deus como seu salvador não implica que ela tivesse algum pecado.

 

SOBRE ROMANOS 3, 10.23

Esta tentativa de objeção já está explicada e refutada em meu texto, que pode ser lido aqui.


SOBRE ROMANOS 2,11

Oras, é Deus então quem faz as pessoas serem pecadoras, por ser obrigado por algum motivo que desconheço a ser “politicamente correto com todos”? O fato é que Deus predestina certas pessoas, e isso se dá para a salvação de outros. E Maria era predestinada a ser mãe do Filho de Deus, e ainda por cima, Deus a fez kecharitwmenh, isto é, completa da graça de Deus, por antonomásia.


SOBRE ROMANOS 11,32

Deus encerrou todos na desobediência, para ser misericordioso com todos.” (Rm 11,32)

Esta foi outra declaração infeliz de nosso comentador. Como eu havia dito no outro post, a palavra “todos” em sua maioria das vezes não é aplicada a todos sem exceção, mas em sua maioria é utilizada em um aspecto generalizado. E, neste caso não é diferente da maioria: é dito que Deus encerrou em incredulidade a todos “estes que agora foram desobedientes” (Rm 11, 31).

Deus concluiu todos aqueles na incredulidade, porque se se mostrasse misericoridioso para com todos, o que eles  temeriam? Aqueles judeus (os que foram incrédulos) não temeriam a nada e pecariam à vontade, abusando da misericórdia de Deus. Deus então agiu com misericórdia com os gentios, do mesmo modo que havia agido outrora com aqueles judeus, que foram infiéis à sua Lei. Já a respeito de Maria, pelo contrário, é dito: “Feliz aquela que acreditou no cumprimento de quanto lhe foi dito da parte do Senhor” (Lc 1, 45).


SOBRE A “DIVINDADE DE MARIA”

Gostaria de perguntar a H.S.B. Jr.: Onde é que a Igreja tem Maria como uma divindade? Vou citar para ele o que diz o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, no capítulo primeiro, parágrafo quatorze:

(…) Confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada, portanto, à Majestade infinita ela é menos que um átomo, é, antes, um nada, pois que só ele é “Aquele que é” (Ex 3, 14) e, por conseguinte, este grande Senhor, sempre independente e bastando – se a si mesmo, não tem nem teve jamais necessidade da Santíssima Virgem para a realização de suas vontades e a manifestação de sua glória. Basta – lhe querer para tudo fazer (…)”.

Nunca chamamos ela de deusa, pelo contrário. Vemos que infelizmente ele não passou de mentiroso (novamente) nessa outra declaração.

 

SOBRE A APARIÇÃO

A aparição não foi divina, mas angélica. Agora: Maria não poderia ter temido? Oras, a aparição repentina de um anjo provoca temor, como vemos em Mt 28,5 e Lc 1, 11-13. Mas não foi o caso, Maria temeu porque surpreendeu-se com as palavras do anjo, que certamente foram fortes, uma vez que Deus a chama por meio do anjo de kecharitwmenh, epíteto jamais utilizado para com um mortal antes, nem depois.

Vejamos o texto em grego de Lucas 1:

29 ἡ δὲ ἐπὶ τῷ λόγῳ διεταράχθη, καὶ διελογίζετο ποταπὸς εἴη ὁ ἀσπασμὸς οὗτος. 30 καὶ εἶπεν ὁ ἄγγελος αὐτῇ: μὴ φοβοῦ, Μαριάμ: εὗρες γὰρ χάριν παρὰ τῷ θεῷ

A palavra “διεταράχθη” é uma flexão de diatarasso, que significa:

1298 διαταρασσω diatarasso

De 1223 e 5015; v

1) surpreender-se muito, estar profundamente preocupado

Notemos que esta preocupação vem acompanhada de um humilde zelo pela palavra de Deus. Maria surpreendida que estava pôs-se a refletir o que significava tão excelsa metonímia que veio do anjo, que a chamou de completa da graça de Deus.

Não há o que criticar em Maria aqui. Os versículos indicam que ela foi humilde e zelosa com tudo o que estava a ocorrer com ela. Não sei o que H.S.B. Jr. quis criticar ao dizer que Maria não sabia do que estava acontecendo, pois o anjo não havia dito ainda que Maria conceberia e daria à luz ao Cristo. Se ele queria arrumar alguma crítica por supor que a Igreja ensine que Maria é algum ser divino e que por isso deveria possuir alguma onisciência, ele está redondamente enganado, como eu  já o refutei no tópico acima.

JESUS SEMPRE SOUBE DE TUDO?

Esta última afirmação de H.S.B. Jr. é tão herética como as demais. Vejamos se Jesus, enquanto estava neste mundo antes de sua páscoa, sabia de tudo sem excessão:

“E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens.”(Lucas 2,52).

Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai.” (Mateus 24, 36)

Jesus do mesmo jeito que era 100% divino, era também 100% homem. Tinha corpo humano e alma humana. Ele teve que aprender como um homem. O Pai revelava a Ele tudo o que concernia à sua missão, tudo que era essencial à sua missão, somente isso.

CONCLUSÃO

Para concluir esta resposta ao nosso comentador, gostaríamos de agradecê-lo, uma vez que estas objeções são frequentes e ele pode contribuir para que a Verdade seja explicada às vistas dos demais. Muitos poderiam ter as mesmas dúvidas que ele colocou aqui, e que agora espero que tenham sido devidamente respondidas.


Ad maiorem Dei gloriam,

Lucas Henrique

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s