Amalgamação – Desmascarando Ellen White

Neste texto vamos analisar uma das mais chocantes afirmações da criadora do adventismo, Ellen White. Esta senhora nunca economizou nas blasfêmias e mentiras contra a Igreja Católica e os Papas. Os adventistas seguem veementemente suas definições e a tem como uma grande profeta, então aqui vamos analisar se ela era mesmo uma profeta e se seus escritos eram realmente inspirados.

Antes de começarmos, daremos a definição do que é amalgamação. A palavra “amalgmação” vem de “amálgama”, que tem dois significados principais:
1: uma liga de mercúrio com outro metal que é sólido ou líquido à temperatura ambiente de acordo com a proporção de mercúrio presente e é utilizado especialmente para fazer obturações dentárias
2: uma mistura de elementos diferente

Este é uma assunto desconhecido aos leitores de língua portuguesa, inclusive os próprios adventistas que desconhecem sua própria história, uma vez que as novas versões de seus escritos o assunto “amalgamação” foi retirado.

Em seu livro Spiritual Gifts (Dons Espirituais) Ellen White faz a seguinte declaração:

Mas se havia um pecado acima de qualquer outro, que levou a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e animal, que desfigurou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte.” [1]

Cada espécie de animal que Deus criou foi preservada na arca. As espécies confusas que Deus não criou, que eram o resultado de amalgamação, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio tem havido amálgama de homem e animal, como pode ser visto nas quase infinitas variedades de espécies de animais, e em certas raças de homens.”[2]

Um resumo dos pontos principais da Sra. White sobre a Amalgamação:

1. Foi “um pecado” grave o suficiente para levar “a destruição” da raça humana.

2. Foi um torpe, “crime aviltante” .

3. Este pecado vil “desfigurou a imagem de Deus.”

4. Ocorreu antes e depois “do dilúvio”.

5. Seus efeitos podem ser vistos “em certas raças de homens.”

Análise

Não há dúvida de que Ellen White pretendia em suas declarações estar descrevendo sobre a união sexual entre homem e animal. Na época, a Sra. White escreveu esta seção “inspirada”, era crida por alguns…

“… esses cruzamentos entre homens e animais criaram uma terra de ninguém entre homem e animal, habitada por gorilas, chimpanzés, os bosquímanos selvagens da África, patagônios e hotentotes.” [3]

Naturalmente, nós agora sabemos que isto é falso. A ciência há muito tempo provou que é impossível para os seres humanos e animais tem algum tipo de reprodução.

Isso leva à pergunta: Se ela não recebeu as idéias amalgamação de Deus, então onde é que ela obtêve-as? Uma fonte provável é o Livro de Jasar. Muitas das declarações da Sra. White sobre a era pré-diluvianos aparecem surpreendentemente similares às afirmações no Livro de Jasar, um relato ficcional da história primitiva da Terra, publicado em 1840. Nesse livro, descobrimos que os seres humanos pré-diluvianos experiêntaram a amalgamação …

“… Os filhos dos homens naqueles dias tiraram o gado da terra, os animais do campo e as aves do céu, e ensinaram a mistura de animais de uma espécie com a outra.” [4]

Qual raça é produto da Amalgamação?

A Sra. White disse que os resultados de amalgamação podem ser vistos “em certas raças de homens”. A pergunta que tem assombrado a Igreja Adventista por mais de 140 anos é que raças são o resultado de amalgamação de homem e animais?

A declaração de Ellen White provocou um controvérsia imediata e crítica pungente na década de 1860 o que obrigou os líderes da igreja tentarem defender a sua profeta. Em 1868, quatro anos após as declarações sobre amálgama aparecerem pela primeira vez na imprensa, o líder adventista Urias Smith [5] publicou sua defesa sobre Ellen White. Nesse livro ele conjecturou que a união do homem com o animal havia criado “casos tais como os bosquímanos selvagens da África, algumas tribos de hotentotes, e talvez os índios Digger de nosso próprio país”. [6]

James White “cuidadosamente” revisou o livro de Smith antes de sua publicação, em seguida, recomendou em termos elogiosos para os leitores da revista oficial da Igreja, a Review and Herald:

“A Associação acaba de publicar um panfleto intitulado ‘As Visões da Sra. EG White, uma manifestação de dons espirituais de acordo com as Escrituras.’ Foi escrito pelo editor da Review. Enquanto cuidadosamente lia o manuscrito, senti-me grato a Deus que o nosso povo pudesse ter essa habilidosa defesa daqueles pontos de vista de tanto amor e galardão, que outros desprezam e se opõem.” [7]

Como se observa, o marido do profeta ler atentamente o livro de Smith. É inconcebível que as declarações sobre os bosquímanos da África passaram desapercebido por James White. Seu endosso do livro indica a sua aprovação implícita da explicação do sr. Smith. Na verdade, porque supostamente provava as alegações da Sra. White, James e Ellen levaram 2.000 exemplares do livro de Smith com eles para vender em reuniões campais naquele ano! [8] Por promover e vender o livro de Smith os White`s colocaram o seu selo de aprovação em sua explicação da declaração sobre amalgamação.

Sem a explicação de Smith, qualquer um lendo a declaração de Ellen White pode facilmente ser confundido de qual raça exatamente ela estava falando. Enquanto Smith pode ter limitado a amalgamação aos bosquímanos, alguns poucos adventistas foram mais longe e aplicaram as declarações aos negros. [9]

A Ginástica Mental feita pelos “Estudiosos”Adventistas
Enquanto a explicação dos “bosquímanos da África” era suficientemente boa para osWwhite e Smith, acabou por cair em desuso pelos líderes adventistas. Tornou-se cada vez mais difícil explicar essas afirmações para uma denominação cada vez mais educada e racialmente tolerante.

Apesar da controvérsia, tanto os críticos quanto defensores de Ellen White concordaram que a Sra. White estava falando sobre a união do homem com animais. No entanto, em 1947 o biólogo adventista chamado Dr. Frank Marsh convenceu um júri adventista a interpretar a afirmação da Sra. White como significando o cruzamento entre as espécies, e não cruzamento entre homem e animal. Dr. Marsh argumentou convincentemente que a união de homem e animal é impossível. Apesar do fato de que Tiago White, Uriah Smith, WC White (seu filho), e D.D. Robinson (seu secretário) todos indicarem que a Sra. White acreditava que sua declaração se referia ao cruzamento do homem com os animais, a evidência científica tornou impossível aos adventistas continuarem a defender a afirmação de Ellen com base em seu significado original pretendido. [10]. Assim, eles desenvolveram um um novo significado para a instrução, um significado que era desconhecido para Ellen White, e um significado que é extremamente difícil de extrair do próprio texto e das citações sobre amalgamação.

Um erudito recente “estudioso” adventista, Francis D. Nichol, em seu livro Ellen G. White and Her Critics (Ellen White e seus Críticos), informa-nos que a palavra “Amalgamação” foi usada comumente no século XIX,  para se referir ao casamento entre as raças branca e negra. Ele também observa que Ellen White usou a palavra “Amalgamação”, para se referir ao casamento entre pessoas de diferentes credos. Nichol argumenta que a afirmação da Sra. White estava se referindo a “malgamação entre “homem” e “homem “, ou seja, o cruzamento entre os seres humanos de diferentes raças ou religiões diferentes.

Casamento entre raças?

Esta explicação gera mais perguntas do que respostas:

• Como é que o casamento entre raças poderiam desfigurar a imagem de Deus no homem? Como pode um ser humano (criado à imagem de Deus), casado com outro humano (feito à imagem de Deus) desfiguraria a imagem de Deus?
• Se o casamento entre raças é um “pecado” e um “crime aviltante”, então por que nunca foi descrito como tal na Bíblia?
• Muitos estudiosos da Bíblia acreditam que a mulher de Moisés Zípora era uma raça diferente. Foram os filhos de Moisés uma espécie amalgamada? Se assim for, por que Deus oferece para tornar os filhos de Moisés uma grande nação? Por que Deus não destruí-los para cometer um crime aviltante?

Casamento entre justo e ímpio?

Outra teoria proposta por aqueles lutam para chegar a uma forma de explicar esta afirmação,  é que Ellen White quis dizer o casamento entre os filhos justos de Seth e os maus. No entanto, essa interpretação parece contradizer o contexto da declaração da Sra. White.   Gordon Shigley explica:

Era difícil ler as declarações de dentro de seu contexto sem ver uma série de pecados, dos quais o último pecado  o ‘um pecado acima de qualquer outro’ -. Foi obviamente o clímax. Não é provável que Ellen White estava falando sobre casamento em religiões já que ela já havia descrito esse o pecado em um parágrafo anterior …. é impossível fazer da amálgama de animal com animal ou de homem com homem, um pecado maior do que o adultério, idolatria, poligamia, roubo ou assassinato.”[11]

Novamente esta interpretação  gera mais questionamentos do que respostas:

• O casamento entre os justos e ímpios é um “pecado” ou um “crime aviltante”? Curiosamente, a Sra. White descreve o casamento entre os filhos de Caim e Seth apenas quatro páginas anteriormente na página 60 do Spiritual Gifts. Ela diz que o casamento “desagradou a Deus”, mas ela não os chama de um crime aviltante. Nem mesmo a Bíblia. Sansão se casou com uma mulher filistéia (ímpia) sobre as objeções de seus pais e a Bíblia diz simplesmente que:

“Mas seu pai e sua mãe não sabiam que era do Senhor …”(Juízes 14:4)

Se casar com uma mulher ímpia foi um “crime aviltante” digno da destruição da raça humana, por que a Bíblia diz que o casamento de Sansão para um filisteu era “do Senhor?”
• Como os resultados dos casamentos entre pessoas de religiões diferentes agora podem “ser vistos” em “certas raças de homens?” Quais as raças mostram evidência visível de casamentos entre crentes e descrentes?

Como vemos para explicar uma heresia, os adventistas criam outras heresias piores ainda e se enrolam cada vez mais, contradizendo a própria bíblia que eles dizem crêr “somente”.

O que significa Amalgamação?
Enquanto os defensores atuais da Sra. White no White Estate não conseguem dar uma explicação definitiva sobre o que a Sra. White estava falando, eles asseguram-nos em seu site que o que quer que fosse que a Sra. White estavesse falando, não era a união entre homem e animal, ou seja ela pode está falando até de união entre ET`s e humanos, menos o óbvio que qualquer criança entenderia de seus escritos.

Diz um estudioso adventista:

Nenhum dicionário jamais usou ‘amalgamação’ para descrever a coabitação de homem com animais …. A Sra. White nunca sugeriu de seres subumanos ou qualquer tipo de relação animal-humano híbrido …. O ônus da prova recai sobre aqueles que afirmar que a Sra. White deu um significado novo e estranho para o termo” [12].

Para refutar essa tentativa isana adventista de negar o óbvio que já foi visto, vamos mostrar o que os dicionários de lingua inglesa, anteriores a declaraçào de Ellen White, dizem:

Dicionário Webster 1828:

Amalgamation – The mixing or blending of different things”.[15]

Tradução:

Amalgamação – A mistura ou combinação de coisas diferentes” [15]

O mesmo dicionário Webster  em 1913:

A*mal`ga*ma”tion (#), n. [Cf. F. amalgamation.]

The mixing or blending of different elements, races, societies, etc.; also, the result of such combination or blending; a homogeneous union.

Tradução:

A mistura ou combinação de diferentes elementos, raças, sociedades, etc.; também o resultado de combinação ou harmonização; uma união homogênia.”

Embora os dicionários não descrevem explicitamente amálgama como a união de homem e animais, até por que isso é uma coisa que não existe, eles certamente permitem essa definição que foi a que a sra. White usou.

A palavra “amalgamação” é amplamente utilizado no idioma Inglês para descrever uma mistura de quaisquer dois ou mais elementos diferentes. Por exemplo, a palavra é usada hoje para descrever a seguinte combinação do humano com o não-humano: [13]

• A criatura mítica chamada de Lobisomem – um ser que é humano e parte lobo – tem sido descrito como uma “ amalgamação“.
• A Esfinge do egito é descrita como uma amalgamação de um leão e um ser humano.
• buffs ficção científica usam para descrever a descendência da união entre seres humanos e alienígenas!

Assim, podemos ver, por estes exemplos, que se trata de uma utilização perfeitamente válida da palavra para descrever a combinação de um animal com um humano.

Um “significado novo e estranho”?

O White Estate afirma que quem acusa Ellen White tem um “fardo” para provar que ela estava falando sobre a união do homem e animal porque essa definição específica nunca aparece em um dicionário. Eles escrevem:
O ônus da prova recai sobre aqueles que afirmam que a Sra. White deu um significado novo e estranho para o termo” [17].
Isso é verdade? Será que temos um fardo para provar que a palavra pode ser usada dessa maneira? Ou isso é apenas uma “cortina de fumaça” usada pelos adventistas para esconder a verdade?

Vamos examinar alguns outros  usos da palavra pela Sra. White para determinar se aparecem ou não no dicionário:

“Toda erva nociva é de semeadura dele [Satanás], e por seus métodos engenhosos de amálgama ele corrompeu a Terra com joio.” [18]

“… pela união com o mundo, o caráter do povo de Deus torna-se manchada, e através da amalgamação com o corrupto, o ouro fino torna-se fraco.” [19]

Nenhum dicionário descreve especificamente Satanás misturando propriedades do mal em ervas para produzir o joio como amálgamação. Nem qualquer dicionário descrever especificamente a união dos cristãos com o mundo como um processo de amalgamação. Portanto, Sra. White está dando um “novo e estranho significado à palavra” por tais utilizações? Claro que não! Todos os usos da Sra. White da palavra “amálgamação” claramente cabem dentro da definição do dicionário. A palavra é usada em milhares de formas de descrever a união híbrida de quaisquer duas coisas que são diferentes. Como poderia um dicionário, possivelmente, listar cada uso potencial da palavra Amalgamação? Levaria milhares de páginas para apenas uma única palavra! Só porque um uso particular de uma palavra não aparece no dicionário não prova que o uso é incorreto!

Para a Sra. White usar a palavra para descrever a união do homem e animal não é  “novo e estranho”, nem é sem precedentes. Como mencionado acima, a palavra é usada em referência à Esfinge, o lobisomem, meio humanos, seres meio alienígenas, e uma série de uniões semelhantes.

A amalgamação é o maior motivo do dilúvio?

Se Ellen White está correta, que o “pecado acima de qualquer outro, levou a destruição da raça” era a amalgamação, por que nunca esse pecado foi mencionado em Gênesis? Moisés menciona os pecados de corrupção e violência em Gênesis 6, 11-13, mas nunca amálgama. É óbvio pensar que se amálgama era “um pecado acima que qualquer outro” que causou o dilúvio, Moisés o teria mencionado! Como poderia um pecado grave ter passado desapercebido por Moisés?

Por que essas declarações “inspiradas” foram removidas?

Se as declarações sobre amalgamação fossem verdade, então por que não estão inclusas no livro Patriarcas e Profetas? Por que removê-los a partir das novas edições? Se este pecado causou o dilúvio, as pessoas não deveriam saber disto para que eles não repeti-lo? Por que os adventistas querem esconder essa “revelação” de Deus a Ellen White?

Se o “bosquímanos da África” são o resultado da união entre homem e animais, o mundo não têm o direito de saber disso? O White Estate está sempre dizendo que Ellen White foi “anos à frente da ciência”. Bem, então por que não deixar o mundo saber sobre desse achado ciêntifico surpreendente de Ellen White?

Se os principais cientistas do mundo não estão cientes disto, para que possam começar a estudar os bosquímanos? Não seria uma prova maravilhosa de inspiração divina de Ellen White se os cientistas analisassem o DNA dos  bosquímanos e provassem que eles são de fato metade animal? Por que palavras proféticas precisaram ser excluídas das edições posteriores do escritos da  “profeta”?

Acaso Deus volta atrás? Ou Ellen White quis esconder uma revelação de Deus do resto do povo?

Este é o fardo Adventista.

Referências Bibliográficas


D. Anderson. Amalgamation A Denominational Embarrassment . Disponível em: < http://www.ellenwhiteexposed.com/critica.htm >Acesso: 07/05/2012.

1. Ellen White, Spiritual Gifts, Vol. 3, p. 64.

2. Ibid., p. 75.

3. Gordon Shigley, “Amalgamation of Man and Beast: What Did Ellen White Mean?”, Spectrum, vol. 12, no. 4, p. 13. Gordon Shigley wrote this article while a graduate student at the University of Wisconsin.

4. Jasher 4:18.

5. In 1868 Uriah Smith still professed belief in Ellen White as a prophet.

6. Uriah Smith, The Visions of Mrs. E. G. White, A Manifestation of Spiritual gifts According to the Scripture, p. 103, (Steam Press, Battle Creek Michigan, 1868).

7. James White, Review, Aug. 15, 1868.

8. Shigley, p. 18, footnote #11

9. The author is saddened to say, that as an SDA for 33 years.

10. See Shigley, pp. 11-18.

11. Shigley, p. 11.

12. Veja http://www.whiteestate.org web site, “Comments Regarding Unusual Statements Found In Ellen G. White’s Writings”.

13. http://www.christianlinks.com/forums/showthread.php?p=25114#post25114

14. Merriam-Webster Dictionary © 1999 by Merriam-Webster, Incorporated.

15. Webster’s 1828 Dictionary.

16. Webster’s 1913 Dictionary.

17. Veja http://www.whiteestate.org web site, “Comments Regarding Unusual Statements Found In Ellen G. White’s Writings”. White Estate quoting F.D. Nichol, Ellen G. White and Her Critics, p. 308.

18. Ellen White, Selected Messages, Vol. 2, p. 288.

19. Ellen White, Advent Review and Sabbath Herald, August 23, 1892.

20. Webster’s 1828 Dictionary.

21. Webster’s 1913 Dictionary.

22. Merriam-Webster Dictionary © 1999 by Merriam-Webster, Incorporated.

23. See article written by Ellen White, Signs of the Times, Jan. 8, 1880.

24. Leviticus 18:23, 20:16.

25. W.C. White, Selected Messages, Vol. 3, p. 452.

Para citar


Rodrigues, Rafael. Amalgamação – Desmascarando Ellen White. Disponível em: <http://apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/adventismo/523-amalgamacao–desmascarando-ellen-white&gt; Desde: 11/05/2012

Anúncios

4 pensamentos sobre “Amalgamação – Desmascarando Ellen White

  1. entao porque voces nao pedem p/ algum cientista, examinar o DNA dos bosquimanos. se é que ainda existem, vou pesquisar na net sobre eles.eu vi alguns videos de arqueologia no youtube sobre fosseis, que fiquei pensando que fosseis sao esses, cranios com um so olho na fronte, com asas, formas extranhas etc……..

  2. Prezada Maria, a paz de Deus!

    Olha, pedir a algum cientista o DNA de bosquímanos por este motivo, é uma tremenda perda de tempo. Sugiro que você se atenha aos estudos da genética, uma vez que verá que o cruzamento de “Homo sapiens sapiens” é totalmente impossível com outras espécies e gêneros. Vou dar um exemplo da impossibilidade, vamos dar uma de Hellen White e querer cruzar um homem com uma vaca.

    O número de cromossomos de um homem é 46. O número de cromossomos de uma vaca é 58. Bom, a partir daí fica claro que é impossível que um homem tenha “amalgamação” com uma vaca, pois os gametas (óvulo e espermatozóide) não se reconhecem quimicamente. Mas vamos mais adiante ainda, ainda que se reconhecessem(o que é impossível), o zigoto não duraria tempo algum, pois o pareamento de cromossomos nunca se daria para a divisão celular e crescimento do zigoto. Os gametas humanos possuem 23 cromossomos, metade dos 46, enquando os gamentas de uma vaca possuem 29 cromossomos… vemos que nunca haveria um pareamento. Ademais ainda que fosse tolerável que o zigoto se desenvolvesse, a vida de tal criatura seria inviável… Nasceria morta… Tomemos o exemplo das aberrações cromossômias humanas, como a trissomia do cromossomo 13, que causa malformações graves do sistema nervoso central como arrinencefalia, defeitos cardíacos congênitos e defeitos urigenitais,anormalidades oculares, polidactilia, punhos cerrados e as plantas arqueadas… Uma criança que nasce com isso não sobrevive até 6 meses de idade…

    Veja que é coisa do mundo da imaginação o cruzamento de homens com animais dar um homem de asas, com um olho só ou formas estranhas como vc supôs acima..

    Espero ter sido bem claro.

    In corde Iesu et Mariae semper,
    Lucas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s