Pensamentos de Padre Pio – Mês de Março

1. Padre tu amas aquilo que eu temo. – Resposta: Eu não amo o sofrimento pelo sofrimento: peço-o a Deus, desejo-o pelos frutos que me oferece: dá glória a Deus, trás a salvação de meus irmãos neste desterro, livra as almas do fogo do purgatório, e que mais quero eu?

– Padre, o que é o sofrimento? – Resposta: Expiação.

– E para você, o que é? – Resposta: Meu alimento diário! Minha delícia!

2. Não nos convencemos de que nossa alma necessita o sofrimento; de que a cruz deve ser o nosso pão de cada dia.

Da mesma forma que o corpo precisa de se alimentar, assim também a alma necessita dia após dia da cruz, para purificar-se, e separar-se das criaturas.

Não queremos compreender que Deus não quer, não pode salvar-nos nem santificar-nos sem a cruz, e que quanto mais atrai uma alma a si, mais a purifica por meio da cruz.

3. Nesta terra cada um tem a sua cruz, mas devemos atuar de modo que não sejamos o mau ladrão, e sim o bom ladrão.

4. O Senhor não pode dar-me um cireneo (Simão de Cirene). Devo fazer sozinho, a vontade de Deus; e se O agrado; o resto não conta.

5. Na vida Jesus não te pede que leves com Ele sua pesada Cruz, mas uma pequena parte da sua Cruz, parte que se resume nas dores dos homens.

6. Em primeiro lugar quero dizer-te que Jesus tem necessidade de quem chore com Ele pela iniquidade dos homens, e por este motivo leva-me por caminhos de sofrimento, como me o assiná-las em tua carta. Mas seja sempre bendito em Seu amor, que sabe misturar o doce com o amargo e converter em prémio eterno as penas passageiras desta vida.

7. Não temas por nada. Ao contrário considera-te muito afortunada por haveres sido feita digna, e participar das dores do Homem-Deus. Não é portanto abandono, tudo isto, senão amor e amor muito especial que Deus te vai demonstrando. Não é castigo, senão amor e amor delicadíssimo. Bendiz por tudo isto ao Senhor, e aceita beber o cálice de Getsemaní.

8. Compreendo bem, filha minha, que teu Calvário te resulte cada dia mais doloroso. Mas pensa que Jesus levou a cabo a obra de nossa redenção no Calvário e que no Calvário deve cumprir-se a salvação das almas redimidas.

9. Sei que sofres muito, mas não são estas as jóias do esposo?

10. O Senhor às vezes te faz sentir o peso da cruz.

Este peso te parece insuportável, e no entanto tu o levas porque o Senhor, no Seu amor e Sua misericórdia, te estende a mão e te dá a força que necessitas.

11. Certas doçuras interiores são coisa de criança. Não são sinal de perfeição. Não doçuras e sim sofrimento é o que se precisa. As aridezes, o desânimo, a impotência, estes são os sinais de um amor verdadeiro. A dor é agradável. O desterro é belo porque se sofre e assim podemos oferecer algo a Deus. A oferenda de nossa dor, dos nossos sofrimentos, é uma grande coisa que não podemos fazer no Céu.

12. Preferiria mil cruzes e inclusive me seria doce e ligeira toda a cruz, se não tivesse esta prova de sentir-me sempre na dúvida de se agrado ou não ao Senhor em minhas obras. É doloroso viver assim… Me resigno, mas a resignação, meu “fiat”, me parece tão frio, tão vazio…! Que mistério! Confio em Jesus.

13. Ama a Jesus; ama-O muito; mas precisamente por isso, ama cada vez mais o sacrifício.

14. O coração bom é sempre forte; sofre mas oculta suas lágrimas, e se consola sacrificando-se pelo próximo e por Deus.

15. Quem começa a amar deve estar disposto a sofrer.

16. A dor tem sido amada com deleite pelas grandes almas. É o auxiliar da criação depois da desgraça da caída; é a alavanca mais potente para levantá-la; é o segundo braço do amor infinito para nossa regeneração.

17. Não temas as adversidades, porque colocam a alma aos pés da cruz e a cruz a coloca às portas do céu, donde encontrará ao que é o triunfador da morte, que a introduzirá nos gozos eternos.

18. Se sofres aceitando com resignação sua vontade, tu não o ofendes senão que o amas. E teu coração ficará muito confortado se pensas que na hora da dor Jesus mesmo sofre em ti e por ti. Ele não te abandonou quando fugiste Dele; porquê te vai abandonar agora que, no martírio que sofre a tua alma, Lhe dás provas de amor?

19. Subamos com generosidade ao Calvário por amor d’Aquele que se imolou por nosso amor; e sejamos pacientes, seguros de que voaremos até ao Tabor.

20. Mantém-te unida a Deus com força e com constância, consagrando-lhe todos os teus afectos, todos teus trabalhos e a ti mesmo toda inteira, esperando com paciência o regresso do maravilhoso sol, quando o Esposo queira visitar-te com a prova das aridezes, das desolações e a noite do espírito.

21. Sim, eu amo a cruz, a cruz sozinha; amo-a porque a vejo sempre detrás de Jesus.

22. Os verdadeiros servos de Deus estimaram sempre a adversidade, como mais em conformidade ao caminho que percorreu nosso Senhor, que levou a cabo a obra de nossa salvação pela cruz e os desprezos.

23. O destino das almas escolhidas é o sofrimento. O sofrimento suportado cristianamente é a condição que Deus, autor de todas as graças e de todos os dons que conduzem à salvação, estabeleceu para conceder-nos a glória.

24. Ama sempre o sofrimento, que, para além de ser a obra da sabedoria divina, nos revela com maior claridade ainda a obra de Seu amor.

25. Deixai que a natureza se queixe ante o sofrimento, porque, se excluirmos o pecado, não há nada mais natural. Vossa vontade, com a ajuda divina, será sempre superior e, se não abandonais a oração, o amor divino estará sempre em vosso espírito.

26. A vida é um Calvário; mas convém subi-lo alegremente. As cruzes são os colares do Esposo e eu estou ciumento deles. Meus sofrimentos são agradáveis. Sofro somente quando não sofro.

27. O Deus dos Cristãos é o Deus das transformações. Deitais no seu colo a dor e sacais a paz; deitais desesperação e vereis surgir a esperança.

28. Os anjos somente nos têm inveja por uma coisa: eles não podem sofrer por Deus. Somente o sofrimento nos permite dizer com toda a segurança: Deus meu, vede como Vos amo.

29. O sofrimento dos males físicos e morais é a oferenda mais digna que podeis fazer Àquele que nos salvou sofrendo.

30. Gozo imensamente ao saber que o Senhor é sempre generoso em suas carícias à tua alma. Sei que sofres, mas o sofrimento não é a prova certa de que Deus te ama? Sei que sofres, mas não é este sofrimento o distintivo de toda alma que elegeu por sua parte e sua herdade a Deus, e a um Deus crucificado? Sei que tua alma está sempre envolta nas trevas da provação, mas que te baste saber, minha querida filha, que Jesus está contigo e em ti.

31. Aceita toda dor e incompreensão que vêm do Alto. Assim te aperfeiçoarás e te santificarás.

Fonte: http://saopio.wordpress.com/category/pensamentos/page/2/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s