O batismo na Sagrada Escritura

Pe. Henrique Soares da Costa

I – Prefigurações do Batismo no Antigo Testamento 

a) A água como instrumento de purificação:

  • no Dilúvio (Gn 7-8). Comentando-o, a 1Pd 3,20s afirma: 

E neste mesmo Espírito (Cristo) foi pregar aos espíritos que estavam na prisão, rebeldes outrora, quando nos dias de Noé os esperava a paciência de Deus, enquanto se fabricava a arca, na qual poucos, isto é, oito pessoas, se salvaram pela água. O que lhe corresponde agora é o batismo que vos salva, não tirando a sujeira da carne mas pedindo a Deus uma boa consciência pela ressurreição de Jesus Cristo. 

  • nas abluções rituais dos judeus (cf. Nm 19,2-10; Dt 23,10s).
  • no anúncio dos profetas:

Naquele dia haverá para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém uma fonte aberta para lavar o pecado e a mancha (Zc 13,1). 

b) As águas do Mar Vermelho, sinal de passagem da escravidão para a liberdade e a vida (cf. Ex 14): 

Não quero, irmãos, que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, que todos atravessaram o mar, e todos foram batizados em Moisés sob a nuvem e pelo mar. Estas coisas, porém, aconteceram para nos servir de exemplo… e foram escritas para advertir a nós, para quem chegou a plenitude dos tempos (1Cor 10,1s.6.11). 

c) A água é símbolo do Espírito de Deus, que purifica e dá a vida:

 

Eu vos tomarei dentre as nações, recolhendo-vos de todos os países, e vos conduzirei à vossa terra. Derramarei sobre vós água pura e sereis purificados. Eu vos purificarei de todas as impurezas e de todos os ídolos. Eu vos darei um coração novo e incutirei um espírito novo dentro de vós. Removerei de vosso corpo o coração de pedra e vos darei um coração de carne. Incutirei o meu Espírito dentro de vós e farei com que andeis segundo minhas leis e cuideis de observar os meus preceitos. Habitareis no país que dei a vossos pais. Sereis o meu povo e eu serei o vosso Deus (Ez 36,24-28). 

Purifica-me com o hissope, e ficarei limpo!
Lava-me, e ficarei mais branco que a neve!
Ó Deus, cria em mim um coração puro
e suscita em meu peito um espírito resoluto! (Sl 50,9.12)
 

II – O Batismo de João Batista 

a)  No tempo de João os judeus costumavam batizar, isto é lavar-se ritualmente: usavam ritos nos quais a pessoa se purificava a si mesma com bastante freqüência. 

b)  O Batismo de João é diferente: era dado uma só vez e a pessoa recebia de uma outra (do próprio João). 

c)  Era oferecido ao povo de Israel como sinal de preparação para a vinda do Messias (cf. At 11,16; 19,3):

Depois de mim, porém, virá outro mais forte do que eu, de quem não sou digno de carregar as sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. Com a peneira na mão limpará seu terreiro e recolherá o trigo ao celeiro, mas queimará a palha num fogo que não se apaga (Mt 3,11ss).

Porque João batizou na água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo daqui a poucos dias (At 1,5). 

d)  Por isso significava também arrependimento, conversão e perdão de Deus:

Assim apareceu João no deserto, batizando e pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados (Mc 1,4).

Confessavam seus pecados e por ele eram batizados no Jordão. Ao ver, porém, que muitos dos fariseus e saduceus vinham para o batismo, João lhes disse: “Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que vem? Produzi, pois, frutos de verdadeira conversão e não vos façais ilusões, dizendo a vós mesmos: Temos Abraão por pai. Pois eu vos digo: Deus pode fazer nascer destas pedras filhos de Abraão. O machado já está posto sobre a raiz das árvores; toda árvore, que não der bons frutos, será cortada e lançada ao fogo. Eu vos batizo com água em sinal de conversão (Mt 3,6-11). 

III – O Batismo de Jesus 

a)Jesus é o Santo de Deus, mas se deixa batizar para mostrar sua solidariedade com a humanidade pecadora: 

No dia seguinte, João viu Jesus aproximar-se e disse: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1,29). 

b)  Seu Batismo também marca sua unção como Messias (cf. Is 11,2; 42,1; 61,1): 

Chegou a Nazaré onde se tinha criado. Segundo seu costume, entrou num sábado na sinagoga e se levantou para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, deu com a passagem onde se lia:
O Espírito do Senhor está sobre mim,
porque ele me ungiu
para anunciar a boa-nova aos pobres;
enviou-me para proclamar
aos aprisionados a libertação,
aos cegos a recuperação da vista,
para pôr em liberdade os oprimidos,
e para anunciar um ano da graça do Senhor.
Jesus fechou o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se. Os olhos de todos os presentes na sinagoga se fixaram nele. Então começou a falar-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabais de ouvir” (Lc 4,16-20). 

c)  É sinal também de sua morte:

Tenho de receber um batismo, e como me angustio até que se cumpra! (Lc 12,50).

Podeis, acaso, beber o cálice que eu vou beber ou ser batizados com o batismo com que eu vou ser batizado?” (Mc 10,38). 

IV – O Batismo cristão – o Sacramento do Batismo 

a)  Para compreender o Batismo cristão é preciso, antes de tudo, recordar a mensagem central do Novo Testamento: Jesus morreu pelos nosso pecados; foi ressuscitado pelo Pai, que derramou sobre ele o Espírito de ressurreição – Espírito que dá a Vida: 

… seu Filho, nascido da descendência de Davi segundo a carne, 4 constituído Filho de Deus, poderoso segundo o Espírito de santidade a partir da ressurreição dos mortos, Jesus Cristo Nosso Senhor (Rm 1,3s).

É grande o mistério da piedade:
Ele foi manifestado na carne,
foi justificado no Espírito (1Tm 3,16). 

b)  Este Espírito, Jesus entrega-o à Igreja, para que vive na Vida dele, ressuscitado (cf. At 2,3-41):

Na tarde do mesmo dia, o primeiro depois do sábado, estando trancadas as portas do lugar onde estavam os discípulos, por medo dos judeus, Jesus chegou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos se alegraram ao ver o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio”. Após essas palavras, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados serão perdoados. A quem não perdoardes os pecados não serão perdoados” (Jo 20,19-23). 

c)  Por isso Cristo ordenou a Igreja que batizasse: 

Ide, pois, fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19). 

d)  Ser mergulhado na água é ser mergulhado no Espírito, representado por aquela água: 

“Se alguém tiver sede venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva”. Referia-se ao Espírito que haviam de receber aqueles que cressem nele. De fato, ainda não tinha sido dado o Espírito, pois Jesus ainda não tinha sido glorificado (Jo 7,37ss).

E alguns de vós éreis isto, mas fostes lavados; mas fostes santificados; mas fostes justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus (1Cor 6,11).

Fomos lavados pelo poder regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele ricamente derramou sobre nós, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que fôssemos justificados pela sua graça, e nos tornássemos herdeiros da esperança da vida eterna (Tt 3,5b-7). 

e)  A primeira condição para ser batizado é crer no nome do Senhor Jesus:

Ao ouvirem isto, sentiram-se tocados no íntimo do coração e indagaram de Pedro e dos demais apóstolos: “O que devemos fazer, irmãos?” Pedro lhes respondeu: “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo (At 2,37ss).

“Senhores, o que devo fazer para me salvar?” Eles responderam: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família”. Anunciaram a palavra do Senhor a ele e a todos os de sua casa. E naquela hora da noite ele cuidou deles, lavou-lhes as feridas e, em seguida, foi batizado com todos os seus (At 16,30ss). 

f)    Aquele que recebe o Batismo:

 

  • é mergulhado na água, símbolo do Espírito (cf. Jo 3,5),
  • torna-se templo do Espírito Santo:

Ou não sabeis que vosso corpo é templo do Espírito Santo, que está em vós, que recebestes de Deus, e que, portanto, vós não vos pertenceis? (1Cor 6,19). 

  • tem os pecados perdoados (cf. Jo 20,21; At 2,38; Rm 6,2-6; 5,12-21),
  • tornando-se uma nova criatura

Se alguém está em Cristo é nova criatura. Passaram as coisas antigas; eis que se fez uma realidade nova (2Cor 5,17; cf, Gl 6,15). 

  • unindo-se à morte e ressurreição do Senhor (cf. Rm 6,3ss; Cl 2,12).
  • Este Espírito nos faz irmãos de Jesus Cristo, uma só coisa com ele:

Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim. Minha vida presente na carne, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou a si mesmo por mim (Gl 2,20).

Todos vós, que fostes batizados em Cristo, vos vestistes de Cristo (Gl 3,27).

Para mim o viver é Cristo (Fl 3,21).

 

  • Faz-nos filhos do Pai do céu:

Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho… a fim de que recebêssemos a adoção. E, como prova de serdes filhos, Deus enviou a nossos corações o Espírito de seu Filho que clama: “Abba, Pai (Gl 4,4ss).

Todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus, são filhos de Deus. Pois não recebestes um espírito de escravos para recair no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos com o qual clamamos: “Abba, Pai”. O próprio Espírito dá testemunho a nosso espírito que somos filhos de Deus (Gl 8,14-16).

 

  • membros do corpo de Cristo, que é a Igreja (cf. 1Cor 12,12s; Ef 4,4)
  • e herdeiros da Glória:

De maneira que já não és escravo mas filho, e, se filho, herdeiro por Deus (Gl 4,7).

Se filhos, também herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, contanto que soframos com ele para sermos também com ele glorificados (Gl 8,17; cf. Rm 8,2.9.17.30; Ef 2,6). 

V – A vida de quem é batizado 

Quem está em Cristo pelo Batismo é uma nova criatura (cf. 2Cor 5,17) e deve viver de acordo com esta nova realidade, realizando as obras do Espírito e viver segundo o Espírito do Cristo ressuscitado: 

Nós, que já morremos para o pecado, como poderemos viver ainda no pecado? Ou ignorais que todos nós, batizados para Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte? Com ele fomos sepultados pelo batismo na morte para que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também andemos em novidade de vida (Rm 6,2-4).

Pensai nas coisas do alto e não nas coisas da terra. Estais mortos e vossa vida está oculta com Cristo em Deus. Quando Cristo, vossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória (Cl 3,2ss).

Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não abuseis, porém, da liberdade, usando-a como pretexto para servirdes à carne. Ao contrário, fazei-vos servos uns dos outros pela caridade.
Digo-vos, pois: Andai no Espírito, e não satisfareis a concupiscência da carne. Se vos guiais pelo Espírito, não estais sob a Lei.  Ora, as obras da carne são manifestas, a saber: prostituição, impureza, libertinagem, idolatria, feitiçarias, ódios, discórdias, ciúmes, iras, rixas, dissensões, divisões, invejas, bebedeiras, orgias e outras como estas, das quais vos previno como fiz antes, pois quem praticar tais coisas não será herdeiro do reino de Deus.
Os frutos do Espírito são: caridade, alegria, paz, longanimidade, afabilidade, bondade, fidelidade, mansidão, continência. Contra estes mão há Lei. Os que são de Cristo Jesus, crucificaram a carne com as paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também segundo o Espírito (Gl 5,13.16.18s.21-25).

Fonte: http://www.domhenrique.com.br/index.php/estudos-biblicos/336-o-batismo-na-sagrada-escritura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s